O traje indiano tradicional assumiu significado político durante a luta pela independência da Índia do domínio britânico na primeira metade do século XX. Mohandas Gandhi famosamente usou a dhoti e xale indiano tradicional. A dhoti é uma faixa retangular de tecido de cerca de 90 cm de comprimento. Os homens usam a dhoti embrulhada e amarrada em torno de suas pernas e cintura. Gandhi produzia suas próprias roupas. Na Índia, a escolha de Gandhi de vestuário se tornou politicamente significativa, porque se ligou ao movimento para rejeitar produtos britânicos e apoiar produtos e tradições indianas.

Sari (saree)

O sari, por vezes escrito “saree”, é uma longa faixa de pano despontado que as mulheres drapeiam sobre o corpo de várias maneiras diferentes. No final do século 20, a maneira mais comum de usar o sari é a de envolvê-lo ao redor da cintura e jogá-lo sobre o ombro. As mulheres usam o sari sobre uma anágua e uma blusa de manga curta equipada chamado de “choli” ou “ravika”.

Dhoti

Os estados indianos ocidentais de Rajasthan, Gujarat e Maharashtra têm um grande número de homens que continuam a usar a dhoti. Existem muitas variações regionais em como os homens usam a dhoti em toda a Índia. Em Gujarat, por exemplo, os homens usam o dhoti com uma kurta curta em cima, chamada de “kediya” (uma kurta é uma túnica abotoada pela frente até a metade). A dhoti também está sujeita a várias regras de etiqueta. Na parte sul da Índia, os homens às vezes puxam a dhoti e dobram a parte superior em volta da cintura — a dhoti então termina um pouco abaixo dos joelhos. No entanto, muitos acreditam que falar com as mulheres com a dhoti usada desta maneira mais curta é indecente e desrespeitoso.

Kurta

A kurta teve origem na Pérsia e  ficou conhecida no ocidente por influencia dos ingleses. Em sua forma mais tradicional é composta por duas peças retangulares de tecidos, que são costuradas lateralmente sem nenhum recorte ou pense, para que não haja desperdício de tecido. As mangas também são retas, ou seja, não têm o punho mais afunilado. A modelagem da kurta é bem simples, embora possam existir bordados decorativos. Na parte lateral, deixam-se sempre duas aberturas, para dar livre movimento no andar. Normalmente a kurta tem uma abertura na parte superior da frente, que é fechada por botões. Em ocasiões menos formais, as kurtassão com botões de osso ou de plástico, podem ser de metais colocados como abotoaduras. A kurta tradicional não tem gola, no entanto, já existem versões mais modernas com golas e colarinhos.

No verão, usualmente utilizam-se kurtas de tecidos mais finos, como o algodão ou a seda. No inverno são utilizados tecidos mais grossos como a lã ou mistura de vários tipos de fibras.

As kurtas podem ser usadas com todos os tipos de calças indianas e até com calça jeans, o que chamamos aqui no Brasil de bata.

Sherwani

O sherwani é como um paletó indiano, enquanto a kurta é como a nossa camisa, ou seja, por baixo do sherwani é indicado usar uma kurta, assim como no traje formal ocidental, onde sempre usamos um terno, por exemplo, com uma camisa de algodão debaixo.

O sherwani lembra a roupa de um príncipe, com tecidos mais finos, de seda que os homens usam para dias festivos, enquanto a kurta são roupas do dia a dia do homem indiado, materiais mais simples de algodão para eventos mais informais.

Sherwanis são indicados para os casamentos. O casamento indiano é um evento muito luxuoso.

E aí, curtiram saber mais sobre a moda e o significado das roupas indianas? Compartilha com a gente sua opinião aqui nos comentários e me diz que tipo de curiosidade você gostaria de ver aqui no site.