Oásis de cultura em meio ao deserto

Existe coisa melhor do que conhecer lugares diferentes e inesperados? O mundo é tão grande e temos tanto a descobrir, criar, explorar. E por isso, no post de hoje vim compartilhar com vocês um oásis de cultura e arte em meio ao deserto da Arábia Saudita.

Maraya, espelho em árabe, é uma instalação composta por uma gigantesca estrutura revestida de espelhos que foi criada no meio do deserto da Arábia Saudita. O projeto intitulado foi realizado pelos italianos Massimo Foglatti e Florian Boje do Studio Gioforma e tem cerca de 5.000 m²  e tem um teatro equipado com as mais modernas tecnologias de áudio, iluminação e projeção digital.

A ideia é que diversos festivais aconteçam no local. Ele foi aberto em fevereiro deste ano, 2019, com o festival de música  Winter at Tantor e o objetivo é atrair mais e mais turistas para a região (eu já to preparando o roteiro da minha próxima viagem rs).

O efeito proporcionado pelos painéis de espelho são maravilhosos e encantadores. O  local é considerado pelo UNESCO como patrimônio mundial:


Prêmio Muda: vem aí a primeira edição da premiação eco-friendly

O tema sustentabilidade tem sido cada vez mais pautado pela grande e pequena mídia, assim como tem grande apelo e força nas redes sociais. Este movimento não ficou apenas no discurso e tem cada vez mais sido colocado em prática por pessoas e cobrado um posicionamento das empresas.

 E hoje no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo, ocorre a primeira edição do Prêmio Muda – “iniciativa das Edições Globo Condé Nast para promover e multiplicar práticas sustentáveis nas indústrias de moda, beleza e design do Brasil”.

E claro que o troféu segue a mesma iniciativa do prêmio. Ele foi desenhado pelo designer Paulo Goldstein, e é feito com madeira de reaproveitamento e hastes/aros de bicicletas descartadas.

Além da curadoria feita pela Vogue, Casa Vogue e Glamour, o prêmio possui a categoria Voto Popular e contou com mais de 11 mil votações. Apesar de ser uma premiação, o grande vencedor somos todos nós e o planeta. Que esta iniciativa impulsione e promova ainda mais a consciência local/global ambiental e que a gente procure sempre buscar saber de onde estamos consumindo.

Prêmio Muda

Local: MIS (Museu da Imagem e Som) – Av. Europa, 158 

Site: www.mis-sp.org.br

Data: 16/04/2019
Horário: das 9h às 14h


Uma noite no Louvre

Já imaginou passar uma noite inteirinha dentro do Louvre, em Paris? Agora o sonho dos grandes amantes de arte pode se tornar realidade graças ao concurso que o Airbnb está lançando em parceria com o museu.

 

O vencedor e seu convidado terão direito a any experiências exclusivas como dormir debaixo da mini pirâmide construída para celebrar o 30° aniversário do Louvre, passeio por zonas reservadas com um guia VIP, jantar especialmente preparado por um chef ao lado da escultura Vênus de Milo…ai ai, são tantas coisas!

Ficou interessado? Então se inscreve correndo no site do Airbnb e responda criativamente em 800 palavras a seguinte pergunta: Por que você seria o hóspede perfeito da Mona Lisa?

 

É importante ressaltar que você vai precisar estar livre entre o dia 28 de Abril ao dia 4 de maio. E antes de fecharmos este post e você sair correndo para responder ao concurso, vamos com um pouquinho de história sobre o Louvre e a obra da Mona Lisa.

O grande e célebre museu já passou por várias obras e reformas, mas ele foi construído inicialmente para ser uma fortaleza composta de uma masmorra e um recinto quadrado, na Idade Média pela o rei Filipe Augusto (1165-1223). Anos depois, entre 1364 e 1380, Carlos V (1338-1380) fez obras no Louvre para transformá-lo em castelo. Este projeto foi realizado pelo arquiteto Raymond du Temple e tinha no planejamento salas de estar majestosas, salas de recreação, pátios e todas aquelas coisas que a realeza adora.

 

Francisco I, famoso como o soberano da Renascença, parou as obras de Carlos V e começou a refazer tudo. Foi nesta mesma época que a França conheceu o famoso pintor italiano Leonardo da Vinci e a Mona Lisa. Anos depois, enquanto a corte do Rei Sol ia Versalhes, o Palácio do Louvre foi ocupado por nobres, intelectuais e artistas que tinham ali sua residência. Eles se juntaram e apresentaram um projeto de museu a Luis XVI, o rei aprovou a ideia e deu início à ideia, mas apenas com a Revolução Francesa a Grande Galeria foi aberta ao público.

 

O museu com a cara que conhecemos, ficou pronto durante o Segundo Império. Foram construídos dois corpos de edifícios que cercam o pátio Napoleão onde encontra-se hoje a Pirâmide do Louvre. A Mona Lisa, conhecida também como Gioconda, chegou no museu apenas em 1797, antes disso ela fazia parte da coleção real de Luis XIV.

 

Aposto que agora vai ser mais fácil criar uma resposta digna de passar uma noite no Louvre. Espero que tenham gostado e boa sorte!