Uma nova forma de experimentar sapatos

Que tipo de pessoa você é: aquela que ama experimentar mil sapatos antes de escolher ou aquela que odeia tirar e colocar os calçados para decidir? Bom, independentemente de qual você seja, eis que surge uma solução para agradar gregos e troianos: o Wanna Kicks.

Mas o que é isso? O Wanna Kicks é uma plataforma criada pela empresa de realidade aumentada (RA), a Wannaby, que permite que você experimente sapatos sem nem que desamarrar os cadarços – imagina que incrível poder testar mais de 10 sapatos sem esforço algum!

A tecnologia que eles criaram rastreiam o corpo do cliente e fazem a aplicação dos sapatos de maneira realistica nos pés dos clientes. Dá uma olhada no video para entender o processo:

E ai, curtiram o processo? Quero saber se vocês acham que essa nova forma de experimentar sapatos vai colar – a empresa já está até criando um para jóias e acessórios!


Macacão masculino: inspire-se!

Hoje vim falar de uma peça de roupa que tenho visto cada vez mais rapazes usando: macacões.

Os macacões e jardineiras surgiram como uma peça de roupa específica para operários de fábricas, artesãos etc, mas que com o passar do tempo foram ressignificadas para o mundo fashion e aí já viu no de que deu, né? Muito associada aos anos 80 e 90, essas peças eram tipicamente feitas em jeans.

Já no atual momento, além de diversos modelos e materiais, existem vários modelos masculinos também e está tendência só tem aumentado. Confere aqui este apanhado de referências bacanas com macacões e jardineiras que fogem do clássico jeans.

Com mangas curtas ou longas, com zipper ou botões, fechados com gola ou de alça…ai…ai…são muitas opções. Espero que você se inspire e se entregue aos macacões depois destas imagens!


As boas de Paris: roteiro de bares e lojas bacanas

Paris pode ser associado a diversas palavras maravilhosas, e com certeza a moda e culinária são algumas das primeiras que vêm na lista. Pelas ruas do centro dessa cidade maravilhosa e principais pontos turísticos (ou não), você encontra lojas e estabelecimentos super bacanas.

 

Em minha última viagem a cidade das luzes tive a chance de rodar bastante e separei alguns lugares bem interessantes para você conhecer. Confere aqui uma das minhas lojas favoritas:

– Galeries Lafayette Champs-Elysées

Das Galeries Lafayettes, a do Champs-Elysées é a mais nova e foi aberta em março deste ano, 2019. Com uma pegada arquitetônica Art Deco ela fica no local da antiga Virgin Megastore. São mais de 600 marcas e 300 criadores divididos em quatro andares de muita moda e bons restaurantes.

O prédio é super inovador e para surpreender e conquistar os clientes, a galeria contratou em torno de 300 personal stylists no lugar de vendedores para auxiliar e acompanhar os clientes.

Endereço: 60 Av. des Champs-Élysées, 75008

-Tom Greyhound Paris

 

A loja de origem sul-coreana escolheu Paris para ser sua segunda base em um espaço super lindo com decoração assinada por Pierre Beucler e Jean-Chritophe Poggioli. Tom Greyhound Paris é uma multimarca possui mais de 40 etiquetas de alto luxo e suas segundas linhas.

Localizada no Alto Marais a loja é ampla, muito bem organizada e sem aquele clima de puro consumo: eles tem espaços com sofás e salões para que os clientes possam parar por um tempo e vivenciar o espaço. Ou seja, ter uma experiência com a moda muito mais ampla.

Endereço: 19 rue de Saintonge, 75003 Paris

– The Broken Arm – Concept Store Marais

Esse ponto é obrigatório para os criativos e amantes de moda e café, a loja conceito The Broken Arm foi fundada pelo Guillaume Steinmetz, Anaïs Lafarge e Romain Joste. A proposta é apresentar designers e marcas que eles mais gostam como Raf Simons, Phillip Lim, Patrik Ervell, Carven, Kenzo, Gyakusou e Jacquemus dividindo o espaço com  livros e publicações independentes.

O local todinho é muito bem pensado e se norteia pela decoração minimalista – desde a loja ao café que serve um café delicioso, sanduíches e suco natural (de verdade!).

Endereço: 12 Rue Perrée, 75003, Paris

-Leclaireur Sévigné – Concept Store Marais

Localizada no Marais, a Leclaireur Sévigné é por si só uma obra de arte em forma de loja criada pelo artista belga Arne Quinze. Nos espaços lindos da loja encontramos as últimas tendências da moda e da alta costura, assim como poderemos já ter uma noção do que estar por vir nas ruas de Paris e do mundo.

“Espetacular e interativo, Leclaireur Sévigné parece a arte, a tecnologia, o design – este estilo único que define Leclaireur.”

Endereço: 40 Rue de Sévigné, 75003

– Loulou

Apesar de estar na França, é sempre bom sentir o delicioso gosta da cozinha italiana, né? Afinal, comida gostosa não precisa ter hora nem lugar. O Loulou além de ter opções deliciosas e se destacar pelos pratos italiana, ele fica em um lugar maravilhoso: dentro do Louvre e com varanda confortável e elegante se espalhando pelo jardim Tuileries. Um charme! Se tiver a oportunidade juntar passeio cultural e gastronômico, esse é o lugar.

Endereço: 107 Rue de Rivoli

– Deviant:

Seguindo da comida italiana em Paris para um lugar igualmente maravilhoso, mas com uma proposta mais descontraída. O Deviant é a boa para curtir bons petiscos e vinhos naturais – lá tem o melhor de maceração. O bar fica de frente para a calçada e não tem cadeiras ou mesas no lado de fora, mas é perfeito para beliscar e curtir com os amigos fora, dentro e em torno do bar.   

Endereço: 39 Rue des Petites Écuries

– Vivant

Não muito longe do Deviant está o Vivant (até rima rs), com apenas 17 mesas com cadeiras e um cardápio minimalista, mas cheio de sabor e ótimos vinhos – afinal, estamos em Paris, né? A cozinha é fiel às raízes francesas e lá você pode sentir o gostinho da verdadeira cidade. Se você ficou curioso para visitar o local e provar, não esquece de postar uma linda foto e me marcar, hein #gogoia

Endereço: 43 Rue des Petites Écuries

– Saturne

Para fechar as dicas, vamos com o Saturne – o equilíbrio perfeito entre sabor, diferentes texturas e sabores. O lugar já ficou na lista de melhores restaurantes, mas aviso desde já: pelas brincadeiras gastronômicas que eles fazem, as opiniões são diversas

Endereço: 17 Rue Notre Dame des Victoires

Dica Extra: Le Citron

Citron de Jacquemos

Quem disse que quem entende de design e moda não manda bem na cozinha? O Citron do designer de bolsas e chapéus Simon Porte Jacquemus abriu seu primeiro café na nova Galeries Lafayette do Champs-Élysées. Mas os detalhes desta experiência vocês vão conferir em um post especial que estou preparando.

 

Espero que tenham gostado dessas dicas e se preparem para o próximo post.


Formas de usar sapatos mule: inspire-se!

Mules, eis um calçado polêmico que já veio com tudo, já foi embora e hoje está super em alta. Ele veio lá dos ano 90, então não vem achando que é novidade de primeira não – e como tudo na moda se ressignifica e se refaz, ele não ficou de fora!

O amor à primeira vista com ele nem sempre acontece, mas a ideia é que depois deste post você saia banhada de referências bacanas e com o coração aberto para as mules. E, para agradar gregos e troianos, ele vem em vários modelos e formas: abertas ou fechadas na frente, lisas e estampadas, com salto ou flats.

1. Com saias

2. Com calças

3. Estampadas

4. Com vestido

E aí, já estão imaginando as composições que você vai fazer com as mules? Então se monta e compartilha com a gente através da hashtag #gogoia #gogoia30


Como dar o nó perfeito?

Você sabe dar nó em gravata? Acompanhe este passo a passo que é sem erro! E para os caras que pensam que já dominam a arte de nós em gravata, nunca é uma má idéia verificar novamente se está dando o laço perfeito.

Encontramos um tutorial super-explicativo no Youtube para te ajudar e facilitamos com o passo a passo:

1- Passe a gravata por trás do pescoço.

2- Enlace as duas pontas, passando a mais grossa por cima da mais fina, dando apenas uma volta. Repita o gesto, deixando a faixa mais grossa por cima da outra

3- Observe que você já tem um nó, agora só tem que fixá-lo passando a faixa grossa por dentro dele

4- Ajeite, aperte e coloque um grampinho, se necessário. Não se esqueça de que a parte mais fina fica escondida sob a grossa

Quer fazer uma gravata borboleta? Tudo bem! Também tem um video super bacana da GQ que explica a forma mais prática do mundo de como resolver isso, dá uma olhada:


Diferentes calças curtas: dá pra usar sim!

Se você está querendo explorar um novo estilo ou sempre namorou as pantcourts, mas não sabia como usar, este post é para você. Essa peça de roupa causou muito bafáfá, mas hoje a aceitação está muito maior já que com o tempo as pessoas foram aprendendo a usar e ver quais tipos de pantacourt ficavam melhor no seu corpo. Aliás, o truque para que qualquer peça cai bem e você se sinta bem, é conhecer suas formas e entender o que fica bom e bacana.

1. Soltinhas

2. Elegantes

3.Jeans

4. Coloridas e Estampadas

Curtiu? Então arrasa na composição dos seus looks e marca a hashtag #gogoia #gogoia30 para que eu veja suas fotos no Instagram, vou amar ver cada uma 🙂


Vestidos e Saias Tamanho Max

Maxi tecidos, maxi estampas e até maxi minimal! Os maxi comprimentos de saias e vestidos são peças que desde sempre vieram pra ficar. Eu sempre falo que na moda tudo vai e volta, de tempos em tempos as “tendências” são recolocadas de uma nova forma mas sempre baseado em algo que já aconteceu.

Não é preciso muitos acessórios para destacar seu look com o maxi comprimento. Maaaaaas tem que ter estilo para sustentar o visual!

Mistura de estampas, cores, e texturas é o que vai dar o TCHAN na montação. E isso você vai adaptar de acordo com seu estilo.

“Ai Gogoia, eu sou muito mais básica que isso!” – Pois é, eu também! Mas tem outras formas de usar o longo que fica lindo… Com camisas brancas, regatas ou até a t-shirt branca básica.

Pra finalizar, não posso deixar de mostrar modelos Maxi para as ocasiões especiais. Seja casamento, formatura ou qualquer evento que peça uma super produção, as saias com tecidos mais pesados ou combinadas com maxi jóias, fazem o look ficar Deuso!


A história das roupas indianas

O traje indiano tradicional assumiu significado político durante a luta pela independência da Índia do domínio britânico na primeira metade do século XX. Mohandas Gandhi famosamente usou a dhoti e xale indiano tradicional. A dhoti é uma faixa retangular de tecido de cerca de 90 cm de comprimento. Os homens usam a dhoti embrulhada e amarrada em torno de suas pernas e cintura. Gandhi produzia suas próprias roupas. Na Índia, a escolha de Gandhi de vestuário se tornou politicamente significativa, porque se ligou ao movimento para rejeitar produtos britânicos e apoiar produtos e tradições indianas.

Sari (saree)

O sari, por vezes escrito “saree”, é uma longa faixa de pano despontado que as mulheres drapeiam sobre o corpo de várias maneiras diferentes. No final do século 20, a maneira mais comum de usar o sari é a de envolvê-lo ao redor da cintura e jogá-lo sobre o ombro. As mulheres usam o sari sobre uma anágua e uma blusa de manga curta equipada chamado de “choli” ou “ravika”.

Dhoti

Os estados indianos ocidentais de Rajasthan, Gujarat e Maharashtra têm um grande número de homens que continuam a usar a dhoti. Existem muitas variações regionais em como os homens usam a dhoti em toda a Índia. Em Gujarat, por exemplo, os homens usam o dhoti com uma kurta curta em cima, chamada de “kediya” (uma kurta é uma túnica abotoada pela frente até a metade). A dhoti também está sujeita a várias regras de etiqueta. Na parte sul da Índia, os homens às vezes puxam a dhoti e dobram a parte superior em volta da cintura — a dhoti então termina um pouco abaixo dos joelhos. No entanto, muitos acreditam que falar com as mulheres com a dhoti usada desta maneira mais curta é indecente e desrespeitoso.

Kurta

A kurta teve origem na Pérsia e  ficou conhecida no ocidente por influencia dos ingleses. Em sua forma mais tradicional é composta por duas peças retangulares de tecidos, que são costuradas lateralmente sem nenhum recorte ou pense, para que não haja desperdício de tecido. As mangas também são retas, ou seja, não têm o punho mais afunilado. A modelagem da kurta é bem simples, embora possam existir bordados decorativos. Na parte lateral, deixam-se sempre duas aberturas, para dar livre movimento no andar. Normalmente a kurta tem uma abertura na parte superior da frente, que é fechada por botões. Em ocasiões menos formais, as kurtassão com botões de osso ou de plástico, podem ser de metais colocados como abotoaduras. A kurta tradicional não tem gola, no entanto, já existem versões mais modernas com golas e colarinhos.

No verão, usualmente utilizam-se kurtas de tecidos mais finos, como o algodão ou a seda. No inverno são utilizados tecidos mais grossos como a lã ou mistura de vários tipos de fibras.

As kurtas podem ser usadas com todos os tipos de calças indianas e até com calça jeans, o que chamamos aqui no Brasil de bata.

Sherwani

O sherwani é como um paletó indiano, enquanto a kurta é como a nossa camisa, ou seja, por baixo do sherwani é indicado usar uma kurta, assim como no traje formal ocidental, onde sempre usamos um terno, por exemplo, com uma camisa de algodão debaixo.

O sherwani lembra a roupa de um príncipe, com tecidos mais finos, de seda que os homens usam para dias festivos, enquanto a kurta são roupas do dia a dia do homem indiado, materiais mais simples de algodão para eventos mais informais.

Sherwanis são indicados para os casamentos. O casamento indiano é um evento muito luxuoso.

E aí, curtiram saber mais sobre a moda e o significado das roupas indianas? Compartilha com a gente sua opinião aqui nos comentários e me diz que tipo de curiosidade você gostaria de ver aqui no site.


SPFW: começa a maior semana de moda no Brasil

Hoje, dia 22 de abril, o SPFW abre sua 47° edição com o  desfile de Reinaldo Lourenço no Farol Santander seguido por uma semana de muita moda que terá  desfiles com o selo Projeto Estufa e cinco marcas inéditas no evento: Haight, Neriage, Flávia Aranha, Another Place e Ocksa.

O tema desta edição é um convite a participação de todos na construção de um futuro mais coletivo e participativo. “Qual é a sua Utopia?” é a pergunta do conceito central do evento.

“Respostas à pergunta tema, quando compartilhadas nas redes sociais usando #MinhaUtopiaHoje, poderão ser projetadas em grandes telas, assinadas pelo Santander, que envolvem a “praça” do SPFW N47, construindo um mosaico coletivo de utopias. Você pode conferir o calendário completo clicando aqui! 

Agora que vocês já estão por dentro de como será o SPFW 2019, a grande pergunta que muitas pessoas tem em mente é: “E aí, como faz para entrar?”. Bom, antes de mais nada, vamos com algumas curiosidades e dicas que podem te ajudar a participar deste evento.

O SPFW começou lá atrás em 1995 e foi criado pelo produtor de eventos Paulo Borges e a primeira edição contou com desfiles em apenas três dias, de estilistas como o grande Alexandre Herchcovitch, Walter Rodrigues e Sonia Maalouli. Hoje em dia o evento ocorre duas vezes por ano, uma no primeiro quadrimestre e outra no último.

E para entrar no SPFW não é impossível não, mas você precisa de um convite. Por isso fique atento caso alguém apareça te vendendo um ingresso, é furada! As assessorias de cada marca possuem uma lista de convidados, mas se você quiser muito entrar, sempre vale conferir com a produção e pessoas que estão no evento, vai que rola…

Para finalizar, o SPFW é muito mais que apenas desfiles, o evento conta com performances, palestras, shows, food trucks, oficinas e lojas também! Ou seja, você mergulha no mundo da moda por completo.

Conta pra gente o que você mais gosta deste universo da moda e do SPFW. Qual desfile você mais quer ver?


Transparência no dia-a-dia

Nos enviaram uma pergunta sobre como usar transparência no dia-a-dia, depois de terem dito a nossa leitora que não “pegava muito bem” usar roupas deste tipo. Para ajudar vocês com essa questão, resolvi fazer este post com algumas dicas de como usar roupas deste tipo.
Durante o dia as transparências devem ser usadas em pequenas proporções, pra que a produção se adeque a ambientes como o trabalho. Saias e vestidos com forros curtos deixam as pernas à mostra, mas sem exageros.
Outra opção são as camisas transparentes, que podem ser usadas com tops ou regatas básicas por baixo. Saia lápis e calça flare compõe uma produção mais discreta, e um blazer ou suéter arrematam o look.
Vou adorar ver vocês usando suas roupas e compartilhando com a gente aqui ou nas redes sociais. Usa a #gogoia e #gogoia30, vai ser um prazer ver as composições que vocês criaram.