As boas de Paris: roteiro de bares e lojas bacanas

Paris pode ser associado a diversas palavras maravilhosas, e com certeza a moda e culinária são algumas das primeiras que vêm na lista. Pelas ruas do centro dessa cidade maravilhosa e principais pontos turísticos (ou não), você encontra lojas e estabelecimentos super bacanas.

 

Em minha última viagem a cidade das luzes tive a chance de rodar bastante e separei alguns lugares bem interessantes para você conhecer. Confere aqui uma das minhas lojas favoritas:

– Galeries Lafayette Champs-Elysées

Das Galeries Lafayettes, a do Champs-Elysées é a mais nova e foi aberta em março deste ano, 2019. Com uma pegada arquitetônica Art Deco ela fica no local da antiga Virgin Megastore. São mais de 600 marcas e 300 criadores divididos em quatro andares de muita moda e bons restaurantes.

O prédio é super inovador e para surpreender e conquistar os clientes, a galeria contratou em torno de 300 personal stylists no lugar de vendedores para auxiliar e acompanhar os clientes.

Endereço: 60 Av. des Champs-Élysées, 75008

-Tom Greyhound Paris

 

A loja de origem sul-coreana escolheu Paris para ser sua segunda base em um espaço super lindo com decoração assinada por Pierre Beucler e Jean-Chritophe Poggioli. Tom Greyhound Paris é uma multimarca possui mais de 40 etiquetas de alto luxo e suas segundas linhas.

Localizada no Alto Marais a loja é ampla, muito bem organizada e sem aquele clima de puro consumo: eles tem espaços com sofás e salões para que os clientes possam parar por um tempo e vivenciar o espaço. Ou seja, ter uma experiência com a moda muito mais ampla.

Endereço: 19 rue de Saintonge, 75003 Paris

– The Broken Arm – Concept Store Marais

Esse ponto é obrigatório para os criativos e amantes de moda e café, a loja conceito The Broken Arm foi fundada pelo Guillaume Steinmetz, Anaïs Lafarge e Romain Joste. A proposta é apresentar designers e marcas que eles mais gostam como Raf Simons, Phillip Lim, Patrik Ervell, Carven, Kenzo, Gyakusou e Jacquemus dividindo o espaço com  livros e publicações independentes.

O local todinho é muito bem pensado e se norteia pela decoração minimalista – desde a loja ao café que serve um café delicioso, sanduíches e suco natural (de verdade!).

Endereço: 12 Rue Perrée, 75003, Paris

-Leclaireur Sévigné – Concept Store Marais

Localizada no Marais, a Leclaireur Sévigné é por si só uma obra de arte em forma de loja criada pelo artista belga Arne Quinze. Nos espaços lindos da loja encontramos as últimas tendências da moda e da alta costura, assim como poderemos já ter uma noção do que estar por vir nas ruas de Paris e do mundo.

“Espetacular e interativo, Leclaireur Sévigné parece a arte, a tecnologia, o design – este estilo único que define Leclaireur.”

Endereço: 40 Rue de Sévigné, 75003

– Loulou

Apesar de estar na França, é sempre bom sentir o delicioso gosta da cozinha italiana, né? Afinal, comida gostosa não precisa ter hora nem lugar. O Loulou além de ter opções deliciosas e se destacar pelos pratos italiana, ele fica em um lugar maravilhoso: dentro do Louvre e com varanda confortável e elegante se espalhando pelo jardim Tuileries. Um charme! Se tiver a oportunidade juntar passeio cultural e gastronômico, esse é o lugar.

Endereço: 107 Rue de Rivoli

– Deviant:

Seguindo da comida italiana em Paris para um lugar igualmente maravilhoso, mas com uma proposta mais descontraída. O Deviant é a boa para curtir bons petiscos e vinhos naturais – lá tem o melhor de maceração. O bar fica de frente para a calçada e não tem cadeiras ou mesas no lado de fora, mas é perfeito para beliscar e curtir com os amigos fora, dentro e em torno do bar.   

Endereço: 39 Rue des Petites Écuries

– Vivant

Não muito longe do Deviant está o Vivant (até rima rs), com apenas 17 mesas com cadeiras e um cardápio minimalista, mas cheio de sabor e ótimos vinhos – afinal, estamos em Paris, né? A cozinha é fiel às raízes francesas e lá você pode sentir o gostinho da verdadeira cidade. Se você ficou curioso para visitar o local e provar, não esquece de postar uma linda foto e me marcar, hein #gogoia

Endereço: 43 Rue des Petites Écuries

– Saturne

Para fechar as dicas, vamos com o Saturne – o equilíbrio perfeito entre sabor, diferentes texturas e sabores. O lugar já ficou na lista de melhores restaurantes, mas aviso desde já: pelas brincadeiras gastronômicas que eles fazem, as opiniões são diversas

Endereço: 17 Rue Notre Dame des Victoires

Dica Extra: Le Citron

Citron de Jacquemos

Quem disse que quem entende de design e moda não manda bem na cozinha? O Citron do designer de bolsas e chapéus Simon Porte Jacquemus abriu seu primeiro café na nova Galeries Lafayette do Champs-Élysées. Mas os detalhes desta experiência vocês vão conferir em um post especial que estou preparando.

 

Espero que tenham gostado dessas dicas e se preparem para o próximo post.


Os bares secretos de Paris: você sabia deles?

Os bares secretos (nem tão secretos hoje em dia), já ouviu falar? Herança dos anos 20 com a Lei Seca de Paris, hoje em dia a grande metrópole possui bares secretos super bacanas que antes eram locais ilegais para que as pessoas pudessem beber escondido!

 

Por alguns anos, beber era ilegal em muitos países e por isso o álcool era proibido e as pessoas de fato se reuniam em locais secretos para beber – imagina isso hoje em dia?! Pois bem, essa lei caiu e os bares secretos tomaram uma outra utilidade: viraram pontos turísticos super bacanas para ir e por sorte, Paris está repleto deles. Confere agora a lista de alguns super bacanas para conhecer:

– Le Moonshiner

Entrando pela pizzaria Da Vito e indo até o fundo, em direção à porta dos fundos que parece apenas para quem trabalha, você encontra o bar Moonshiner (nome significa contrabando de álcool), um  aconchegante, com poltronas confortáveis e coquetéis deliciosos.

 

Endereço: 5 Rue Sedaine, 75011 Paris

– Le Lavomatic

O nome te lembrou uma lavanderia? Isso mesmo, para chegar ao Lavomatic você chega em uma lavanderia, aperta um botão escondido atrás de uma das máquinas e chega em um  ambiente acolhedor, cheio de coquetéis e comidinhas para beliscar. E se sujar sua roupa, não se preocupe porque a lavanderia realmente funciona.

 

Endereço: 30 Rue René Boulanger, 75010 Paris

– La Mezcaleria

Escondido nos fundos de um hotel no Marais – um dos bairros mais bacanas de Paris – você encontra a La Mezcaleria. A decoração inspirada na cultura sul-americana, faz deste bar secreto em Paris um lugar intimista e fora do comum. Que tal dar uma passa lá depois de um passeio pelo Pompidou?

 

Endereço: 13 Boulevard du Temple, 75003

– Le Blaine Bar

O último das dicas tinha que ser um dos mais secretos e complicados, né?  Para entrar você precisa informar uma senha que muda constantemente. Quando você consegue passar pela porta e para tentar conseguir a senha, é preciso acompanhar a página oficial do bar no Facebook (link). Vale a pena o esforço de descobrir esse bar, quando você entra encontra um espaço super charmoso e bacana.

 

Endereço: 65 Rue Pierre Charron 75008 Paris

E aí, por qual bar secreto você começaria? Existem vários outros, mas essa é uma seleção especial que fiz para vocês. Espero que gostem e compartilhar suas dicas usando a hashtag #gogoia #gogoia30, vou adorar ver por onde vocês andam.


Roteiro de museus em Paris: simples, prático e cheio de cultura

Conhecer novos países, culturas e estruturas é uma das coisas que mais que encanta e me inspira. Sair de nossa zona de conforto e explorar lugares diferentes nos ajuda a entender melhor nosso próprio país e cultura também, vocês não acham?

 

E agora que estou em Paris por alguns dias, resolvi compartilhar com vocês a lista de alguns dos principais museus e que todo mundo que puder vir nesta cidade maravilhosa, mesmo que por poucos dias, precisa conhecer – selecionei os mais próximos e acessíveis. Vamos lá:

1. Museu do Louvre

Apesar de ser um clichê parisiense e todo site de dicas recomendá-lo, este museu reúne obras do mundo inteiro e não se limita a esculturas e quadros não. Podemos encontrar tapeçarias no setor da cultura oriental, esculturas egípcias em perfeito estado, documentos antigos preservados e muita história. Há um tempo atrás rolou um super sorteio do Louvre com o Airbnb e o ganhador passaria uma noite VIP lá. Confere aqui o post porque mostra bastante coisa interessante sobre o Louvre também.

2. Museu de Orsay (Musée d’Orsay)

Pertinho do Louvre, o Museu de Orsay vale a visita – recomendo que se você quer de fato apreciar os dois museus, ou separa o dia todo apenas para os dois ou vai em um a cada dia. Mesmo que sejam pertinho, o acervo é tão grande e rico que ficar menos que 3 horas em cada é pagar à toa, vai por mim.

 

O Orsay era uma antiga ferroviária e hoje é este lindo museu com fantásticas obras e um acervo pra lá de encantador: Monet, Rodin, Caillebotte, Cézanne, Renoir e Picasso são alguns dos nomes que você vai encontrar.

3. Centro George Pompidou

Não muito distante do Livre e do Orsay, e cheio de obras maravilhosas e uma exposição permanente repleta de arte moderna e contemporânea, vamos ao Centro George Pompidou, mais conhecido como apenas como Pompidou pelos mais íntimos rs.  

 

Além do acervo de obras, ele possui uma das bibliotecas mais visitadas do mundo, uma cinemateca e um rooftop lindo que dá pra ver a grande Paris. Coloca esse na sua lista, hein.

4. Fundação Louis Vuitton

Indo para a região mais moderna e distante do centro de Paris – La Défense, vamos a Fundação Louis Vuitton – uma construção monumental e moderna  projetada pelo Frank Gehry. A impressão que temos ao nos depararmos com a fundação é que ela por si só já é uma obra de arte ao ar livre que abriga diversas exposições temporárias, um restaurante e diversas instalações maravilhosas.

 

Aproveite para ir conhecer este lugar incrível e uma parte de Paris que poucas pessoas sabem – grandes prédios, construções modernas, bares, shoppings…você vai se surpreender.

  1. Museu do Quai Branly

Este museu de destaca de qualquer outra construção tradicional parisiense. Ele é um dos mais recentes e modernos de Paris e foi construído para receber mais de 300 mil obras de continente americano, africano, asiático e da oceania. Ou seja, se você quer dar uma volta ao mundo em um único lugar, além do Louvre, você precisa visitar o Quai Branly.

 

Esses são só alguns do que eu acho fundamentais visitar, masss tem tantos outros que você precisa conhecer nesta cidade. Quem sabe em breve não venho com a parte 2 deste post – por enquanto, anotem essas dicas e embarquem nesta viagem cultural.


Uma noite no Louvre

Já imaginou passar uma noite inteirinha dentro do Louvre, em Paris? Agora o sonho dos grandes amantes de arte pode se tornar realidade graças ao concurso que o Airbnb está lançando em parceria com o museu.

 

O vencedor e seu convidado terão direito a any experiências exclusivas como dormir debaixo da mini pirâmide construída para celebrar o 30° aniversário do Louvre, passeio por zonas reservadas com um guia VIP, jantar especialmente preparado por um chef ao lado da escultura Vênus de Milo…ai ai, são tantas coisas!

Ficou interessado? Então se inscreve correndo no site do Airbnb e responda criativamente em 800 palavras a seguinte pergunta: Por que você seria o hóspede perfeito da Mona Lisa?

 

É importante ressaltar que você vai precisar estar livre entre o dia 28 de Abril ao dia 4 de maio. E antes de fecharmos este post e você sair correndo para responder ao concurso, vamos com um pouquinho de história sobre o Louvre e a obra da Mona Lisa.

O grande e célebre museu já passou por várias obras e reformas, mas ele foi construído inicialmente para ser uma fortaleza composta de uma masmorra e um recinto quadrado, na Idade Média pela o rei Filipe Augusto (1165-1223). Anos depois, entre 1364 e 1380, Carlos V (1338-1380) fez obras no Louvre para transformá-lo em castelo. Este projeto foi realizado pelo arquiteto Raymond du Temple e tinha no planejamento salas de estar majestosas, salas de recreação, pátios e todas aquelas coisas que a realeza adora.

 

Francisco I, famoso como o soberano da Renascença, parou as obras de Carlos V e começou a refazer tudo. Foi nesta mesma época que a França conheceu o famoso pintor italiano Leonardo da Vinci e a Mona Lisa. Anos depois, enquanto a corte do Rei Sol ia Versalhes, o Palácio do Louvre foi ocupado por nobres, intelectuais e artistas que tinham ali sua residência. Eles se juntaram e apresentaram um projeto de museu a Luis XVI, o rei aprovou a ideia e deu início à ideia, mas apenas com a Revolução Francesa a Grande Galeria foi aberta ao público.

 

O museu com a cara que conhecemos, ficou pronto durante o Segundo Império. Foram construídos dois corpos de edifícios que cercam o pátio Napoleão onde encontra-se hoje a Pirâmide do Louvre. A Mona Lisa, conhecida também como Gioconda, chegou no museu apenas em 1797, antes disso ela fazia parte da coleção real de Luis XIV.

 

Aposto que agora vai ser mais fácil criar uma resposta digna de passar uma noite no Louvre. Espero que tenham gostado e boa sorte!